MENU

Comentários (0) Bom de copo, Estilos de Cerveja

Vienna Lager

No coração da Europa, entre as nações do leste e do oeste europeu, existe um pequeno país chamado Áustria. Ele possui apenas 83 mil quilômetros quadrados, uma área 100 vezes menor do que o nosso Brasil – menor do que, por exemplo, o estado de Santa Catarina. Apesar do seu diminuto tamanho, os austríacos são os terceiros maiores consumidores de cerveja per capta do mundo. Isto representa 104 litros da bebida, por pessoa, por ano. Para se ter uma ideia, mesmo o Brasil sendo o terceiro maior consumidor de cerveja no mundo por conta de sua grande população, o brasileiro bebe, em média, quase a metade do que bebe um austríaco: 68 litros per capta por ano. Não à toa, este ouro fermentado é parte intrínseca da cultura daquele país. Hoje, vamos conhecer um estilo de cerveja lager, nascido neste belo rincão, repleto de lagos, montanhas e – é claro – muita cerveja boa.

Para você que faltou nas aulas anteriores, a cerveja lager é um tipo de cerveja fermentada, cujo processo de fermentação ocorre a baixas temperaturas (entre 5ºC e 14ºC). Isto se deve a uma tradição dos mestres cervejeiros da região da Baviera (na atual Alemanha, região fronteiriça com a Áustria), que armazenavam a cerveja fermentada em cavernas frias durante o período de inverno. O resultado desta pouca temperatura fazia com que a bebida maturasse diferentemente de todas as outras cervejas da época, no caso, as cervejas tipo ale, de alta fermentação. Posteriormente, com o advento da geladeira e das câmeras frigoríficas, a cerveja tipo lager se popularizou no mundo inteiro.

Nos idos de 1840, um mestre cervejeiro austríaco chamado Anton Dreher criou um novo estilo de cerveja lager, combinando uma bebida de carbonatação moderada, leve cremosidade, malte suave e final bastante seco. Originalmente chamada de Lager de Schwechat (Schwechater Lagerbier) – cidade natal de Anton – seu sucesso comercial acabou tirando o nome da pequena cidade ao lado da capital e ganhou o apelido de Lager de Vienna (Wiener Lagerbier).

Por um acaso do destino, esta cerveja de cor âmbar avermelhado e límpida acabou também parando do outro lado do oceano, no México, através de mestres cervejeiros que imigraram para a América no final do século XIX. O aristocrata austríaco-mexicano Santiago Graf é hoje referência histórica como um dos grandes responsáveis por ter trazido este estilo ao Novo Mundo. (Na época, a América era a terra da oportunidade e dos novos negócios para os ricos europeus).

Hoje, apesar do nome se manter o mesmo, é mais fácil encontrar uma Vienna Lager nos Estados Unidos e no México do que na própria Áustria. Segundo o portal Beer Judge Certification Program, “as versões americanas tendem a ser mais fortes, secas e amargas, enquanto as versões europeias tendem a ser mais doces”.

Para os consumidores mais técnicos, a Vienna Lager possui uma densidade original entre 1,046 e 1,052; ficando entre 18 e 30 nas unidades internacionais de amargor, com um volume médio de 4,5% a 5,5% de álcool por volume.

Aos nossos amigos austríacos: um brinde. Aos nossos companheiros mexicanos: salud!

Com informações de: Cervejas Artesanais do Brasil, Geografia Opinativa, e Wikipédia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *